Amazônia Assembleia Legislativa do Amazonas Brasília Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Cotidiano Economia Educação Energia
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
31/10/2019 | 18:02 - Amazonas / Polícia

AM. Em um ano, Manaus registra mais de 370 casos de importunação sexual

Erikson Andrade/SSP-AM

“Traduzindo em um palavreado mais simples: é uma passada de mãos, é o beijo roubado, é o esfregão no ônibus, passar a mão nas partes íntimas da outra pessoa”, explicou a titular da DECCM, delegada Débora Mafra.

 

 

Promulgada há um ano, a Lei de Importunação Sexual possibilitou o registro policial de 374 casos de assédio contra mulheres, em Manaus. Os dados são da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), da Polícia Civil. Beijos roubados e qualquer carícia sem consentimento podem ser enquadrados neste crime, e as vítimas podem fazer o registro em qualquer delegacia no estado.

 

A Lei 13.718/2018, que tipifica o crime de Importunação Sexual, entrou em vigor no dia 25 de setembro de 2018, após ser sancionada pelo então presidente Michel Temer. De acordo com o Art. 215-A, toda vez que o autor satisfazer a própria lascívia ou a de terceiros sem o consentimento da vítima, estará cometendo o crime.

 

“Traduzindo em um palavreado mais simples: é uma passada de mãos, é o beijo roubado, é o esfregão no ônibus, passar a mão nas partes íntimas da outra pessoa”, explicou a titular da DECCM, delegada Débora Mafra.

 

O delito é cometido, geralmente, em locais com grandes aglomerações. “Isso acontece muito em grandes festas como Carnaval, dentro dos ônibus, acontece em diversos lugares. Inclusive com aqueles amigos, naquele happy hour, que tem aquela mão boba, que passa a mão em você sem violência ou grave ameaça. Porque, se há violência ou grave ameaça já não falamos mais importunação sexual, e sim estupro”, afirmou.

 

A importunação sexual não é válida apenas para as mulheres. Os homens também podem denunciar. A pena para quem comete o delito varia de um a cinco anos de reclusão.

 

“Essa conduta está tipificada no Código Penal e tem a punição devida. E é isso que nós queremos, que as nossas mulheres, que são o público-alvo desse tipo de crime, que elas denunciem mesmo, que não fiquem caladas. Porque hoje tem o crime que vem coibir esses atos”, disse Mafra.

 

A orientação da delegada é que a polícia seja acionada imediatamente para atender esses casos, e que nem testemunhas nem vítimas tentem fazer “justiça com as próprias mãos”. “Na hora que está acontecendo (a importunação sexual), você já pede para a população te ajudar a segurar o autor e chamar a Polícia Militar, ou levar a uma delegacia mais próxima para ser lavrado flagrante. A gente pede que a população não aja querendo fazer justiça com as próprias mãos, deixe que a polícia atue”, orienta a titular da especializada.

 

Denúncias – As vítimas podem procurar qualquer um dos Distritos Integrados de Polícia na capital e interior. Em Manaus, existem três unidades especializadas no atendimento de violência doméstica.

 

A DECCM fica localizada na avenida Mário Ypiranga Monteiro, no conjunto Eldorado, bairro Parque 10 de Dezembro, na zona centro-sul da capital, que funciona 24h. O anexo da especializada fica localizado na rua Santa Ana, bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus. Uma nova unidade foi inaugurada na zona sul da capital, e funciona na rua Felismino Soares, bairro Colônia Oliveira Machado.

 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2019 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença