Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
29/04/2020 | 15:35 - Amazonas / Brasília

Bolsonaro responsabiliza governadores por mortes da covid-19

Maurício Ferro / Poder 360

Bolsonaro e aliados criticaram imprensa; apoiadores chamaram jornalistas de "bandidos"

 
 
 
O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta 4ª feira (29.abr.2020) que a imprensa precisa perguntar aos governadores –citando nominalmente João Doria (PSDB), de São Paulo– por que Estados que adotam medidas de isolamento social mais rígidas registram mais mortes pela covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus).
 
“As medidas restritivas estão a cargo dos governadores e prefeitos. A imprensa tem que perguntar para o Doria por que que mais gente está perdendo a vida em São Paulo. Tem que perguntar a ele, que tomou todas as medidas restritivas que achava que tinha que tomar”, disse.
 
Bolsonaro fez a afirmação na saída do Palácio do Alvorada, residência oficial da Presidência. Na 3ª feira (28.abr), repórteres questionaram o presidente no mesmo local sobre o recorde de mortes (474) pela doença em 24 horas registrado no dia. O presidente respondeu: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?”
 
Desta vez, Bolsonaro acrescentou que “não adianta a imprensa botar na conta” dele as questões que “não cabem” a ele. “Não adianta a Folha de S.Paulo, a Globo aí, que fez uma machete mentirosa, tendenciosa, querer botar a culpa em mim”, disse. O Poder360 também publicou uma reportagem que mostra a declaração do presidente.
 
O senhor não falou aquilo ontem, presidente?”, perguntou 1 repórter.
O senhor não botou o complemento! O senhor não botou o complemento”, disse Bolsonaro.
A declaração provocou uma série de declarações dos apoiadores bolsonaristas ofensivas à imprensa.
Vocês são mentirosos”, disse 1 deles.
Você não botou o complemento! A Globo não tem moral!”, afirmou Bolsonaro.
Qual o complemento? Qual o complemento?”, questionou o mesmo repórter –que não trabalha na Globo– ao presidente.
Você é 1 mentiroso! A Globo é mentirosa”, disse Bolsonaro ao repórter.
Qual o complemento?”, insistiu o jornalista.
O complemento é que eu lamento”, respondeu.
O complemento” mencionado pelo presidente consta em nas reportagens dos principais veículos de mídia, inclusive naquela escrita pelo Poder360.
Mesmo ao vivo… A Globo tem que definir. Eu não vou pagar para vocês falarem a verdade nem bem de mim”, afirmou Bolsonaro.
Não vai dar dinheiro não, presidente. Acabou o dinheiro, corrupto”, disse 1 apoiador ao repórter.
 
Além dos apoiadores, que chamaram os profissionais da imprensa que trabalhavam no Alvorada de “corruptos”, “bandidos”, “vagabundos” e almofadinhas.
 
Um repórter se virou para os apoiadores com o celular gravando e pediu que ele se identificasse e repetisse os insultos –o que é crime. Nesta ocasião, o apoiador disse que não havia insultado ninguém. Quando o repórter voltou a gravar as declarações de Bolsonaro, o apoiador voltou a repetir as mesmas ofensas ao profissional.
 
Havia ainda diversos deputados aliados ao presidente. Esses congressistas se revezaram em discursos de apoio a Bolsonaro.
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), por exemplo –que afirmou em entrevista ao jornal O Globo que Bolsonaro queria informações da Polícia Federal apenas sobre si próprio–, mandou 1 jornalista ficar “quieto”.
 
“O senhor pode ficar quieto, por favor? O senhor pode ficar quieto, por favor?”, falou.
 
Na ocasião, o jornalista questionava o presidente sobre as ofensas dos apoiadores à imprensa. Há apenas uma grade que bate na altura da cintura separando os profissionais de dezenas de bolsonaristas. Bolsonaro não fez nenhum comentário sobre as agressões de seus apoiadores.
 
Depois de diversos discursos de aliados, 1 repórter questionou Bolsonaro se ele tem alguma responsabilidade pelas mortes em decorrência da covid-19.
 
“Essa pergunta é tão idiota que não vou nem responder”, afirmou, encerrando a entrevista.

    

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença