Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
24/05/2020 | 12:50 - Amazonas / Meio Ambiente

Corujas fazem ninho na praia da Ponta Negra durante período de interdição

Fotos – Divulgação/Implurb

 
Um ninho de corujas foi descoberto na área de praia do Complexo Turístico Ponta Negra, na zona Oeste, interditado temporariamente em razão do isolamento social devido a pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19. A cena chamou a atenção de servidores do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), órgão da Prefeitura de Manaus que gerencia o espaço, e de guardas municipais, que seguem a serviço no local.
 
Sem frequentadores e o tradicional movimento do balneário, pelo menos um casal de corujas, aves da ordem Strigiformes, fez um ninho no habitat. A espécie seria da coruja buraqueira (Athene cunicularia), espécie mais comum e conhecida no Brasil. É uma ave terrícola de hábitos diurnos, que faz ninhos em tocas no chão, inclusive na areia.
 
O servidor do Implurb, José Antônio, explica que o ninho apareceu após a interdição e que os “pombinhos” ficam na área protegendo possivelmente os ovos colocados. "Elas usaram a areia, uma cavidade, e ficam monitorando. Ainda não vimos filhotes porque elas ficam indóceis quando alguém se aproxima. Estão cuidando da prole", diz.
 
No início do mês, quem deu o ar da graça no calçadão menos movimentado foi um bicho-preguiça. Há uma família habitando o espaço.
A Ponta Negra, na zona Oeste da cidade, está com a praia interditada desde o dia 22 de março. A medida é parte das determinações do prefeito Arthur Virgílio Neto para estimular o isolamento social e proteger a população do contágio pela doença. A interdição foi alinhada entre a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e o Implurb.
 
“Estamos fazendo todas as orientações, campanhas e buscando coibir de todas as maneiras a proliferação da Covid-19, então, a Ponta Negra segue interditada, o comércio no local está fechado, sem funcionamento. A população precisa estar ciente de que não pode se dirigir até lá para se divertir e acabar causando uma aglomeração perigosa para a propagação do vírus. Não é hora daquele passeio ou mesmo de uma atividade física no espaço”, explica o diretor-presidente do Implurb, Cláudio Guenka.
 
Para reduzir ainda mais o fluxo de pessoas que buscam o local para fazer caminhadas e corridas, foram reduzidas e desligadas parte da iluminação pública. Com isso, a prefeitura reforça o pedido para que as pessoas evitem sair e realizar atividades esportivas em público, uma vez que estudos apontam que corridas e caminhadas podem espalhar o vírus num raio de até 10 metros. A prática de exercícios físicos deve ser feita em casa.
 
A Guarda Municipal e a Polícia Militar estão atuando nos acessos ao complexo e balneário, orientando quem insiste em frequentar o local, sobre os riscos de aglomerações. “A Guarda Municipal ficará presente na Ponta Negra 24 horas para cumprir a decisão do prefeito que tem pedido isolamento nesse período. Portando, o acesso à praia segue proibido”, observa o secretário-chefe da Casa Militar, Antônio Brandão, acrescentando que a Prefeitura de Manaus também recomenda que a população não frequente outras praias e flutuantes da capital.
 
Desde o dia 17 de março, a agenda de eventos do Complexo Turístico Ponta Negra está suspensa temporariamente, por decreto. A prefeitura, seguindo orientações de prevenção e controle ao novo coronavírus, também suspendeu a realização de eventos culturais e religiosos.
 
Com a interdição da Ponta Negra, a prefeitura determinou a suspensão de linhas que atendem ao complexo, durante os domingos, e a redução da frota nos demais dias da semana. As linhas que sofreram essas mudanças, são 120, 450, 678 e 641. Os usuários têm como opção para esta área da zona Oeste as linhas 126 e 003, que não estão interrompidas aos domingos.

Texto – Cláudia Valle / Implurb 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença