Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
10/06/2020 | 14:25 - Amazonas / Geral

Emissão de declaração de óbitos em domicílio tem 45 atendimentos

Divulgação

Nas três primeiras semanas de implantação do Serviço Municipal para Emissão de Declaração de Óbito para mortes por causa natural ocorridas em domicílio, a Prefeitura de Manaus realizou 45 atendimentos. Desse total, 34 (75,55%) foram realizados para pessoas a partir de 60 anos de idade, com outros dez atendimentos na faixa etária de 40 e 59 anos e um de 30 a 39 anos.
O serviço, coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), é executado por equipes formadas por médico, técnico de patologia e técnico de necropsia, que se deslocam até o domicílio para examinar o corpo e emitir a declaração de óbito. O atendimento é exclusivo para morte em domicílio por causa natural, que é a morte resultante de uma doença, geralmente devido a idade avançada.
 
Entre os 45 atendimentos ocorridos no período de 18 de maio a 5 de junho, seis pessoas tiveram a Covid-19 como causa de óbito, oito foram por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), três estão em investigação por suspeita de Covid-19 e 28 foram por outras causas naturais, envolvendo situações como o Acidente Vascular Cerebral (AVC), insuficiência renal crônica, parada cardiorrespiratória, mal de Alzheimer, infarto agudo do miocárdio e câncer.
 
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, como houve um aumento de demanda nos serviços de saúde por causa da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Manaus implantou o serviço para auxiliar no atendimento que normalmente é realizado na rede estadual e que é feito com a família providenciando o deslocamento do corpo, por meio de funerária, até um serviço de saúde para a emissão da declaração de óbito.
 
“É importante destacar que o serviço na rede municipal é realizado em domicílio. A equipe de profissionais vai até a residência para o exame do corpo e definição da causa da morte, emitindo a declaração de óbito”, ressalta Marcelo Magaldi.
 
Atendimento
O serviço funciona de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 16h, e a família deve solicitar o atendimento pelo telefone (092) 98842-8437. Nos sábados, domingos e feriados o serviço continua a ser oferecido na rede estadual de saúde, assim como de segunda a sexta-feira, no horário das 16h até 8h.
 
Porém, a Semsa informa que no feriado de Corpus Christi, dia 11/6, e no ponto facultativo de 12/6, o serviço manterá o funcionamento das 8h às 16h, evitando a interrupção do atendimento por quatro dias seguidos.
 
Na chegada da equipe da Semsa ao domicílio, a orientação é que a família apresente, se houver, receitas, exames e laudos médicos, ou qualquer outro comprovante no caso de doença crônica pré-existente, para auxiliar na definição de causa básica de morte. Também devem apresentar documento de identidade legível e com foto (da pessoa morta e do responsável familiar), o cartão SUS e comprovante de residência.
 
O coordenador do Serviço Municipal de Emissão de Declaração de Óbito, farmacêutico Arlindo França Alexandre Filho, destaca que o serviço da Prefeitura de Manaus não atende casos de óbito ocorrido em via pública ou situação de óbitos por causas externas, quando a morte ocorre por acidente ou violência.
 
“Já as mortes por causa natural são resultantes de doenças, normalmente em situação crônica e que atingem pessoas mais idosas. Nos atendimentos realizados no serviço em domicílio, as pessoas mortas apresentavam comorbidades como diabetes, hipertensão, doença neurológica, obesidade, pneumopatias, câncer e doença renal, em alguns casos associadas com quadro de Covid-19 ou Síndrome Respiratória Aguda Grave”, explica Arlindo Filho.
 
No momento do atendimento, a família também deve providenciar um Boletim de Ocorrência (BO) do óbito na Delegacia de Polícia mais próxima ou de forma on-line. “Caso seja identificado que a morte ocorreu com quadro suspeito de Covid-19, a equipe da Semsa faz a coleta de material para exame pós-óbito”, informa Arlindo França.
 

Texto – Eurivânia Galúcio/Semsa 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença