Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
06/05/2020 | 16:20 - Amazonas / Saúde

Fuam implanta programa para acompanhar casos suspeitos de Covid-19 entre servidores

FOTOS: Divulgação/Fuam

servidores realizam medição de temperatura recebem orientação e EPIs

 
 
Para impedir a propagação da Covid-19 em âmbito institucional, a Fundação Alfredo da Matta (Fuam) criou o PASSCoVid – Programa de Atenção à Saúde dos Servidores da Fuam, suspeitos ou acometidos pela Covid-19. O programa oferta aos seus servidores, colaboradores e estagiários atendimento para dar suporte e orientação àqueles que apresentarem sintomas de síndrome gripal.
 
“A Fuam, sempre preocupada com a segurança e proteção da saúde de todos os seus servidores, implanta o PASSCoVid, dedicado aos que apresentem quadro sintomático compatível com síndrome gripal, possibilitando àqueles que queiram aderir aos cuidados ofertados ter acompanhamento que se dará mediante acesso a uma plataforma, na qual devem preencher seus dados e sintomas”, explica o diretor-presidente da Fuam, Ronaldo Amazonas.
 
A plataforma pode ser acessada por meio de um link disponível no site da Fuam e já compartilhado em grupos de mensagens de comunicação interna dos diversos setores. “A plataforma estará disponível até que a pandemia seja oficialmente declarada sob controle por parte dos organismos de vigilância local, nacional e/ou internacional”, explica Ronaldo Amazonas.
 
Implantado no início da segunda quinzena do mês de abril, o PASSCoVid na Fuam recebeu, até o dia 30 de abril, 102 notificações, dentre servidores e estagiários; o que significa 32,7% do total de 312 profissionais da instituição. Todos os casos foram avaliados pela equipe responsável, e aqueles que relataram algum sintoma de síndrome gripal, como dor ou irritação na garganta, febre, tosse seca, dor de cabeça, dificuldade para respirar, perda de paladar e olfato, dentre outros, foram encaminhados para avaliação individual.
 
Do total de 102 servidores que fizeram notificações, 81 realizaram algum tipo de teste confirmatório (PCR ou Teste Rápido para CoVid19) por serem suspeitos de Covid-19, tendo 32 resultados positivos para a doença (19 mulheres e 13 homens).

“Entre os meses de março e abril, a Fuam já teve 96 afastamentos de servidores, nem todos por Covid-19, mas também por síndrome gripal e outros problemas de saúde; destes, 66 já retornaram às suas atividades e 30 permanecem afastados”, explica o diretor-presidente da Fuam.

Como funciona o PASSCoVid – Os casos suspeitos que apresentem sintomas como dor de cabeça, secreção nasal, dor de garganta, dor no corpo, diarreia, tosse seca, febre ou dificuldade para respirar são orientados a acessar a plataforma de notificação para preencher formulário específico e dar início ao atendimento. Com a notificação de sintomas, o servidor, colaborador ou estagiário é afastado temporariamente de suas funções, por segurança, e tem o seu caso imediatamente avaliado pela equipe do PASSCoVid.
 
Não havendo necessidade de atendimento ou tratamento, ou ainda se não se confirmar a suspeita de Covid-19, o servidor/colaborador recebe orientações e é liberado para retornar ao trabalho.
 
Aqueles que precisam de atendimento presencial e optarem pelo atendimento da própria equipe de médicos e infectologista do PASSCoVid são avaliados clinicamente e, se necessário, orientados sobre o tratamento adequado. Confirmando-se a necessidade de algum tratamento, o atestado médico é emitido, seguindo os trâmites já conhecidos pelos servidores, tendo seu caso encaminhado ao setor de pessoal da instituição e permanecendo afastados pelo período necessário, conforme o diagnóstico de cada um.

A plataforma de notificação de síndrome gripal do PASSCoVid está com link disponível no site da Fuam e em grupos de mensagens dos setores, dos quais os servidores já fazem parte. É importante destacar que o programa se destina apenas aos servidores e colaboradores da instituição, não estando disponível para acompanhamento, aconselhamento ou tratamento de terceiros, ainda que contatos familiares do servidor. O programa também não se caracteriza como atendimento ambulatorial ou emergencial, mas sim dará aos servidores e colaboradores todo suporte e orientação necessários.
 
“Desde o início da pandemia em nosso estado, estamos tomando uma série de medidas para proteger nossos servidores e demais colaboradores. Por isso, desenvolvemos ações para tranquilizar cada um, reafirmando que não temos medido esforços para seguir as orientações do Governo do Estado e demais órgãos de vigilância para proteger a saúde e a vida de todos e promover as ações necessárias para alcançar esses objetivos. O PASSCoVid é mais uma dessas medidas”, finalizou Ronaldo Amazonas.

Medidas de prevenção à Covid-19 na Fuam – Dentre as medidas para proteção de usuários e servidores à Covid-19 na Fundação Alfredo da Matta, destacam-se ações como orientação aos usuários sobre higienização das mãos e outras medidas preventivas, sintomas da Covid-19 e importância da etiqueta respiratória, uso de máscaras e distanciamento entre pessoas. Também foi determinada a intensificação da higienização dos ambientes ambulatorial e administrativo na sede da Fuam, adequando as medidas de biossegurança já adotadas à nova realidade da pandemia pelo novo coronavírus.
 
Foi reforçado aos servidores sobre o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados, e autorizado o afastamento de servidores que fazem parte de grupo de risco (como os acima de 60 anos), além do afastamento temporário daqueles que apresentem sintomas suspeitos. Os servidores também receberam a vacina contra Influenza, na própria sede da Fuam.
 
A instituição adotou regime de home office para serviços que podem ser executados a distância, sem prejuízo da produtividade, e adotou medidas como a suspensão dos atendimentos eletivos, readequando as agendas e reduzindo a circulação de pessoas nos ambulatórios.
 
Para os atendimentos considerados essenciais, está sendo mantida equipe de profissionais em regime de escala, com carga horária reduzida, de modo a manter a assistência para aqueles pacientes que não podem ter o atendimento interrompido, como pacientes que fazem uso de medicamentos controlados, pacientes em tratamento para o HIV/Aids, casos graves de câncer de pele (do tipo melanoma) e pacientes com reações hansênicas.
 
Pacientes que apresentam alguma intercorrência ou agravamento de seu quadro também tem recebido atenção, com avaliação individual de cada caso pela equipe médica e de enfermagem, para que ninguém fique desassistido.

 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença