Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
12/05/2020 | 12:45 - Amazonas / Geral

Fundação Alfredo da Matta produz vídeos com orientações sobre Covid-19 para comunidades indígenas do Amazonas

FOTOS: Arthur Castro/Secom

 
Conteúdos em língua materna trazem informações sobre prevenção do novo coronavírus
 
Com o intuito de alcançar cada vez mais pessoas com informações sobre o novo coronavírus, a Fundação Alfredo da Matta (Fuam) deu início à produção de uma série de vídeos educativos em língua materna voltados às populações indígenas do Amazonas. Produzido pelo Núcleo de Telemedicina e Telessaúde (Nutes) da instituição, os conteúdos já possuem versões em baniwa, baré, marubo e tikuna.
 
De acordo com o coordenador do Nutes/Fuam, o médico dermatologista Luiz Claudio Dias, o trabalho vem para ajudar as comunidades indígenas no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Entre os assuntos abordados estão os sinais e sintomas da doença, formas de prevenção e isolamento social dentro do contexto comunitário.
 
“Essas mensagens são levadas através de profissionais de saúde indígenas com suas próprias línguas maternas, e com isso a gente espera motivar melhor, por parte das populações indígenas, a respeito dessa doença, que é nova para nós e também para eles”, disse o médico, destacando que o material é útil tanto para os indígenas aldeados quanto para aqueles inseridos no contexto urbano.
 
“Nós temos muitos indígenas na cidade de Manaus que não têm domínio do português, então o ideal é que esses vídeos cheguem através de celulares, pen drives, sendo levados pelos agentes indígenas de saúde e pelos professores bilíngues até essas comunidades aldeadas”, explicou Dias.
 
Os conteúdos podem ser acessados no perfil do Nutes/Fuam no Youtube: https://bit.ly/35UnRJd. Em breve, também serão disponibilizadas versões nas línguas paumari e tukano.
 
O projeto é financiado pela ONG alemã DAHW, instituição que atua no Brasil há mais de 45 anos com trabalho voltado à prevenção e tratamento da tuberculose e hanseníase, e conta com apoio de instituições parceiras: Instituto de Teologia Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (Itepes), Distritos Especiais de Saúde Indígena (DSEIs) do Amazonas, Casa de Saúde Indígena (Casai) Manaus e Núcleo de Telessaúde do Amazonas, ligado à Universidade do Estado do Amazonas (UEA).
 
Ação conjunta – Para o coordenador do Nutes/Fuam, a iniciativa do Governo do Amazonas é um reforço importante às ações do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), voltadas aos povos indígenas durante a pandemia de Covid-19.
 
“A pandemia é global, é responsabilidade de todos. Essa é uma doença que hoje já está identificada e que não tem manifestações só respiratórias, mas hematológicas, cerebrais, cardíacas e também dermatológicas, então todos nós devemos estar preparados para fazer o primeiro atendimento e poder referenciar aqueles que precisam de atendimento mais especializado. Então a responsabilidade sobre a pandemia nos dias de hoje é de todos os profissionais de saúde e da atenção básica”, afirmou Luiz Claudio Dias.

  

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença