Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
21/04/2020 | 19:10 - Amazonas / Saúde

Hospital de Combate ao Covid-19, na Nilton Lins, recebe mais 16 pacientes e Wilson Lima anuncia novos leitos com HUGV

Divulgação/Secom

 
Para governador, momento é de união de esforços entre os poderes
 
 
O governador Wilson Lima anunciou, nesta terça-feira (21/04), que o Governo do Amazonas vai utilizar leitos do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), que é mantido com verbas federais, para receber pacientes com o novo Coronavírus (Covid-19). Ele também afirmou que o Estado mantém todos os esforços para estruturar mais leitos clínicos e de UTI no Hospital Delphina Aziz e no Hospital de Combate ao Covid-19, localizado na Universidade Nilton Lins, que até a manhã de hoje tinha mais 16 pacientes regulados para atendimento na unidade.
 
“Temos trabalhado para abrir estruturas para que a gente possa transferir pacientes e desafogar a rede, principalmente nossos SPAs”, afirmou Wilson Lima durante entrevistas a emissores de TV. Ele detalhou que o Hospital de Combate ao Covid-19 está com oito leitos de UTI e clínicos ocupados e que, nesta terça-feira, receberá mais 16 pacientes. 
 
“A gente tem feito um esforço muito grande para conseguir insumos, equipamentos, medicamentos, e neste momento, como tudo é muito caro, temos que contar com ajuda de parceiros”, completou, ao destacar que a pressão sobre a rede estadual de saúde é alta, sobretudo pelo grande número de pessoas com síndromes respiratórias.
 
HUGV
 
Entre os esforços para abrir novos leitos, o governador disse que conversou com a direção do HUGV para acelerar a utilização de leitos da unidade para atender pacientes regulados pelo Governo do Estado.
 
De acordo com a secretária estadual de Saúde, Simone Papaiz, o HUGV disponibilizou para o Estado 18 leitos de UTI e 45 leitos clínicos na unidade. 
 
“A direção do HUGV ressaltou a importância da continuidade da assistência na questão da origem do hospital, que é manter a assistência em neurocirurgia e traumatologia. Mas sinalizou, pela manhã, que iriam colocar a disponibilidade de 18 leitos de UTI mais 45 de leitos de internação. Com isso, o complexo regulador vai demandar para esses leitos, prioritariamente, os pacientes que estão nos SPAs e nas UPAs, para dar um melhor atendimento para esses pacientes”, disse Simone Papaiz ao explicar que a Secretaria de Saúde só consegue remanejar pacientes quando a unidade hospitalar disponibiliza os leitos no sistema do Complexo Regulador.
 
Delphina Aziz
 
No Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, o governador Wilson Lima disse que o Estado já está prestes a concluir a implantação de 100 leitos de UTI na unidade, que é a capacidade máxima desse tipo de leito. Para abri-los, explicou, é preciso ter mais do que o espaço físico. É preciso recursos humanos, equipamentos e insumos que, desde o início da pandemia no mundo, declarada pela Organização Mundial da Sáude (OMS) em março deste ano, são itens disputados mundialmente.
 
“Quando assumi o governo em 2019, havia apenas dez leitos de UTI, agora já temos quase 100 leitos de UTI funcionando no Delphina Aziz. Na verdade, hoje eu tenho 100 leitos de UTI e alguns, para poder receber pacientes, precisa da chegada de profissionais intensivistas, o que deve acontecer agora nos próximos dias, quando nós teremos a vinda de profissionais, inclusive, de outras regiões”, afirmou o governador.
 
Necessidade de leitos
 
A secretária estadual de Saúde afirmou que, de acordo com as estimativas de casos de Covid-19, perto de 5% da população infectada com o vírus necessitará de atendimento de alta complexidade, com recursos de UTI. Por esse motivo, explicou, a Susam soma todos os esforços para ampliar simultaneamente leitos em várias unidades.
 
“Nós precisamos dar vasão para as unidades que são porta aberta, para que, à medida que esses pacientes cheguem, tenhamos  leitos de referência disponibilizados na rede. Então todos os leitos são importantes: Delphina, Nilton Lins, que é nosso hospital de combate, o Getúlio Vargas, a Beneficente Portuguesa, que estamos aguardando a liberação deles, de vagas no sistema”, afirmou Simone Papaiz. 
 
Ajuda dos poderes
 
Wilson Lima ressaltou, ainda, que o Governo do Estado precisa da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), poder Judiciário e órgãos de controle para ajudar no enfrentamento das consequências da pandemia no Amazonas.
 
“Esse aqui é um momento de ajuda de todo mundo, é um momento de ajuda dos poderes. Preciso muito da Assembleia Legislativa nesse momento para que a gente possa superar essa dificuldade que nós estamos enfrentando na saúde. Tenho conversado, inclusive, com o Tribunal de Contas do Estado, com Ministério Público Estadual, para encontrar caminhos para resolver esses problemas”, ressaltou Wilson Lima, ao adiantar que já tem reunião marcada para esta semana com representantes desses poderes para mostrar os esforços do Estado e alinhar soluções conjuntas.
 
deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença