Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
03/04/2020 | 19:10 - Amazonas / Saúde

Prefeitura alerta para mudanças nos atendimentos às gestantes enquanto durar o isolamento social

Fotos – Divulgação / Arquivo Semcom

Gestantes acompanhadas pelas Unidades Básicas da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa)

 
Prefeitura de Manaus orienta as gestantes acompanhadas pelas Unidades Básicas da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para que observem as mudanças no esquema das consultas de pré-natal, enquanto durar o período de isolamento social, necessário para prevenir o contágio pelo novo coronavírus. Os atendimentos não foram suspensos, apenas passaram por um reordenamento para garantir maior segurança às futuras mães e seus bebês.
 
“A Semsa é a porta de entrada do sistema de saúde de Manaus neste enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Considerando a importância da assistência à mulher no período pré-natal, no puerpério, no atendimento do Seguimento do Bebê de Risco e a coleta do Teste do Pezinho, o prefeito Arthur Virgílio Neto orientou que nossa equipe técnica realizasse os ajustes necessários no atendimento a essa população, seguindo o que determina o Ministério da Saúde”, explica o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.
 
Segundo ele, as UBSs estão trabalhando com dois fluxos de acolhimento: um destinado às síndromes gripais e outro para as demais demandas, como pré-natal e atendimento de pediatria. Caso as gestantes cheguem à UBS apresentando sintomas de síndrome gripal, como febre de início súbito, acompanhada de dor de garganta ou tosse, terão sua consulta de pré-natal adiada por 14 dias, sendo orientadas a ficar em casa, em isolamento domiciliar.
 
Em relação a todas as demais gestantes, sem sintomas ou sem síndrome gripal, estas serão atendidas normalmente, seguindo algumas orientações. O intervalo entre as consultas será maior do que o normal (o Ministério da Saúde orienta retorno mensal), mas nessa situação, para evitar aglomerações, esse retorno será de 45 a 60 dias, dependendo da avaliação do profissional que está realizando o atendimento.
 
A gestante já vai sair da consulta com o retorno agendado. A consulta de acolhimento após o parto (retorno a unidade), que é a chamada consulta puerperal, também está garantida, pois nesse período é importante a avaliação da saúde da mãe e do bebê.
 
Em relação ao Teste do Pezinho, este continuará a ser oferecido nas unidades da Semsa, porém, temporariamente, somente nove Unidades de Saúde serão referenciadas por ocasião da alta da maternidade.
 
O Ambulatório de Seguimento do Bebê de Risco, que são aqueles com problemas como alterações neurológicas e baixo peso, entre outros, continuará com as consultas sendo agendadas pela própria maternidade, em horário de menor aglomeração possível. A mãe deverá levar o encaminhamento da maternidade e sumário de alta em mãos.
 

Texto - Sandra Monteiro/Semsa 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença