Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
29/08/2020 | 09:45 - Amazonas / Educação

Sindicatos dos profissionais da educação elogiam estratégias da rede municipal de ensino

Fotos – Ione Moreno / Semcom

 
O planejamento da Prefeitura de Manaus com as estratégias educacionais para o 2º semestre do ano letivo da rede municipal de ensino foi aprovado e elogiado por membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), do Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom Sindical) e do Ministério Público do Estado do Estado do Amazonas (MPE-AM). O encontro aconteceu por meio de videoconferência, nesta sexta-feira, 28/8, quando os representantes puderam tirar dúvidas e fazer contribuições aos documentos norteadores.
 
A Secretaria Municipal de Educação (Semed) organizou um planejamento em cinco fases, que compreendem as etapas que serão realizadas até dezembro de 2020, conforme respaldo e autorização dos órgãos competentes. Ainda não há previsão para o retorno às aulas presenciais nas escolas municipais, o que só deverá ocorrer após liberação das autoridades de saúde sanitária.
 
A rede municipal de ensino se prepara para a fase de flexibilização, onde as unidades de ensino serão pontos de apoio a alunos e professores na continuidade do ensino remoto, por meio do projeto "Aula em Casa".
 
A secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, foi quem apresentou o plano e destacou que o intuito do encontro virtual foi apresentar as propostas da secretaria, bem como abrir espaço para que os sindicatos pudessem compartilhar as experiências e dar sugestões às propostas da rede. A titular da pasta lamentou, ainda, a falta de uma coordenação nacional, para apoiar os municípios, diante do enfrentamento à pandemia da Covid- 19, no que tange a educação.
 
“A pandemia não é um problema local e sim mundial. Os países que retornaram com as aulas no modo semipresencial e que tiveram algum sucesso contaram com o apoio de uma coordenação nacional. No Brasil nós não temos. Tudo o que a gente pensa em fazer na rede municipal é em respeito as nossas realidades e com a vontade de diminuir ou, ao menos, enfrentar a grande desigualdade que a gente vive. O ponto em comum em todos nós é a compreensão e a certeza de que a política educacional, se não for a mais importante, é uma das mais importantes para garantir vidas e formação de uma cidadania plena, que vai muito além de apenas transmitir conteúdos”, disse Kátia.
Uma das preocupações da rede municipal de ensino e de todos os sistemas educacionais é o efeito pós-pandemia, que pode causar a evasão escolar de estudantes e também de profissionais. Dessa forma a Semed desenvolveu o programa “Nem um a Menos”, que arrecada aparelhos eletrônicos e doa a alunos que não conseguem de forma alguma estudar a distância. Além deste programa, a Semed também, terá o “Apadrinhamento Pedagógico”, que conta com a participação da sociedade. A ação deve acontecer apenas uma vez na semana em horário e dia combinados.
 
A promotora titular da 55ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa dos Direitos Humanos à Educação (55ª Prodhed), Renata Cintrão, elogiou bastante a preocupação da Semed com a saúde dos alunos, servidores e também em manter o estudo remoto aos estudantes que não conseguem participar das atividades do “Aula em Casa”.
 
“Conhecendo o tamanho da rede municipal de ensino e toda a complexidade estrutural pela qual a nossa cidade passa, vejo com muito bons olhos o planejamento que foi feito. Já elogiei o trabalho da secretaria, que se preocupou em realizar uma busca ativa daqueles estudantes que não estão dando feedback do acompanhamento do ensino remoto e também da disponibilização das escolas para ajudar esses estudantes que precisam dessa inclusão digital. A Semed realmente está de parabéns com esse planejamento e na vontade de trazer o aluno para perto da escola, mesmo que não seja com o retorno das aulas presenciais, mas de uma forma que ele se sinta incluído nesse contexto do novo normal”, concluiu a promotora.
 
A pedagoga da rede e representante do Asprom Sindical, Simone de Lima Tavares, também ficou satisfeita com o planejamento apresentado. “O Asprom Sindical fica feliz com a fala da secretária Kátia, quando diz que podemos colaborar com a construção deste planejamento do segundo semestre de 2020, dando sugestões para o fechamento do mesmo. Assim como que nas escolas, na interação entre professores, pedagogos e gestores, teremos autonomia para administrar as demandas de acordo com a realidade da comunidade escolar, sem colocar em exposição ou em risco nenhum funcionário”, pontuou Simone.
 
 

Texto – Érica Marinho / Semed 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2020 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença